contatore@uol.com.br    Ligue Agora: 5055-1015

Perda Óssea – Recuperação Total

Recentemente tratamos uma paciente que quando chegou à clinica não tinha sequer 3mm de osso na dimensão vertical (fotos abaixo).

 

 

 

 

 

 

 

 

O dentista onde tratava sugeriu que o melhor que se poderia fazer era extrair todos os dentes e colocar uma dentadura porque não tinha osso para colocar implante.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dona de uma agência de eventos, e com presença social constante, a imagem é muito importante para a paciente.

 

Como ela poderia usar dentadura em eventos sociais?

 

Ela então soube de nosso trabalho e nos pediu ajuda. Assim começamos pelo tratamento ósseo.

 

Primeiro, o tratamento ósseo, que durou cerca de três meses. Fizemos uma completa regeneração óssea com laser.

 

Após os três meses fizemos enxertos com células tronco de células de pluripotência induzida na região posterior da maxila onde havia uma perda óssea maior.

 

Fizermos os enxertos e aguardamos seis meses a sua maturação.

 

Após os seis meses, e após exame tomográfico, verificamos que ela já tinha 22mm de osso vertical, o que nos dava condições de fazer os implantes que fizemos.

 

Quando chegou até nós, a paciente tinha perda óssea em 70%. Ou seja, só tinha 30% de osso. Conseguimos refazer os outros 70%.

Fizemos dez implantes. Já logo após a cirurgia fizemos a transferência dos implantes.  O guia cirúrgico (foto abaixo) já me deu a posição correta onde deveria fazer os implantes baseado no exame de tomo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Após a moldagem, colocamos a peça final.

 

 

 

 

 

 

 

 

A mesma situação se deu na parte inferior da boca: muita perda óssea e enxertos feitos a partir de células tronco da própria paciente.

 

O trabalho completo, a paciente saiu de nossa clínica com revascularização e reposição celular significativa e reconstrução total superior feita com células tronco.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Além de exibir o mais belo sorrio, renovando a autoestima autoconfiança. E, claro, sem precisar voltar à clínica por problemas de rejeição.