contatore@uol.com.br    Ligue Agora: 5055-1015

Quem precisa fazer ROG?

Nem todas as pessoas vão precisar fazer regeneração óssea com células tronco com células de pluripotência induzida.

Quando um paciente chega à clínica, é um erro partir para essa terapia imediatamente. Pois se ele tem perda óssea, é preciso averiguar quais as suas características. Problemas, por exemplo, de microcirculação periférica, quando um osso não tem 100 por cento de nutrição, só tem 50 por cento.

Assim, se coloco uma célula de pluripotência induzida num osso que não tem nutrição, sendo que o que a célula mais vai precisar para se manter viva é a nutrição. Coloca-se a célula numa célula que precisa nutrição, em sete dias ela morre. Portanto, não é a primeira técnica que vamos usar, pois mesmo trabalhando com uma técnica avançadíssima, não se terá resultado.

Consequentemente, primeiro fazemos o tratamento tradicional, ou seja, a revascularização com laser que vão ativar as células que estão inertes. Essas células aumentam a produção no seu metabolismo e começam a se multiplicar, ou seja, a fazer mitose, repondo novas células. Repondo-se as células vai haver regeneração óssea guiada por indução do laser

A consequência é a revascularização daquele tecido.

Se o paciente ainda precisar usar de enxertos, aí sim fazemos o uso de células de pluripotência.

Muitas vezes só a ativação por laser já é o suficiente, como nos casos de periodontite de grau 1 e 2.

Já nos casos de periodontite de grau 3, que é severa, recorremos às células tronco de pluripotência induzida.